Seguidores

Pesquisar

Onde estão os pastores de crianças? (Parte VII)

Este é o 7º artigo dentro do tema central ONDE ESTÃO OS PASTORES DE CRIANÇAS, com a convicção que a atividade que melhor representa aquele que trabalha com as crianças é a atividade de um pastor.
Tios, tias, professores, professoras, palhaços, palhaças, monitores, voluntários e tantos outros semelhantes precisam sair de cena. 
Chega de pajear, de entreter ou de meramente “ensinar” crianças. Vamos pastoreá-las. O momento atual exige isso.
Podemos olhar o pastor de crianças em três posições bem distintas: 
1. aquele que procura a ovelha perdida; 
2, aquele que apascenta os cordeirinhos de Cristo; 
3. aquele que livra e protege dos inimigos. 
Vamos considerar neste número aquele que é o nosso Modelo.

O PASTOR MODELO

“Como pastor ele cuida de seu rebanho, com o braço ajunta os cordeiros e os carrega no colo; conduz com cuidado as ovelhas que amamentam suas crias.” (Isaías 40:11)
A ternura do Senhor como Pastor é comovente. Ele tem uma grandeza incomparável! A continuação do texto de Isaías mostra o seu domínio absoluto sobre toda a Criação, e mesmo assim é o DEUS PASTOR! Sim, Deus é revelado como infinitamente forte e infinitamente terno.
Quando veremos pastores que imitam Jesus, o nosso Pastor Modelo, que é chamado de BOM, GRANDE e SUPREMO Pastor? Onde está o pastor que: 
1. Procura a ovelha perdida? 
2. Alimenta o cordeiro de Cristo?
3. Livra a ovelha quando atacada pelos animais ferozes?
Que os pais, professores, líderes e pastores se coloquem agora mesmo diante do Supremo Pastor e ouçam a mesma pergunta que, com tanta ternura, restaurou Simão Pedro: "Você me ama?"
Pobre Pedro, que houvera negado o Senhor tão vergonhosamente! Aquela pergunta colocava o dedo bem no meio da ferida inflamada: "Você me ama?"
Pedro confessou: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. 
Charles Spurgeon, em seu livro Pescadores de Crianças (Edições Shedd), comentando esta passagem disse o seguinte: “Eu te amo tanto que confio a você aquilo que eu comprei com o sangue do meu coração. A coisa mais preciosa que tenho em todo o mundo é o meu rebanho: veja, Simão, eu tenho tanta confiança em você, dependo inteiramente da sua integridade como sendo uma pessoa que me ama sinceramente, que eu lhe faço um pastor de meus cordeiros. São tudo que eu tenho na Terra, dei tudo por eles, até minha vida; e agora, Simão, filho de Jonas, cuide deles por mim”.
Onde estão os pastores de crianças? Que o Senhor levante pela sua graça e bondade, em cada igreja local, homens e mulheres que tenham o coração cheio de amor para com o Senhor, que respondam ao Senhor: Eu te amo! E que ouçam o Senhor Jesus lhes ordenando: Apascentem os meus cordeiros!

O BOM, GRANDE E SUPREMO PASTOR

Quando teremos pastores que imitem a Jesus, o nosso Pastor Modelo? É interessante e inspirador considerar que Jesus é chamado de: 
BOM PASTOR – “O bom pastor dá a vida pelas ovelhas” (João 10). É muito precioso observar que o Salmo 22 é o salmo do BOM PASTOR. O salmo que fala da morte de Jesus em nosso lugar. A sua crucificação.
GRANDE PASTOR – “...o grande pastor das ovelhas...” (Hebreus 13: ). O salmo 23 é o salmo do GRANDE PASTOR. O salmo que fala de Jesus Ressurreto, que guia e cuida de suas ovelhas cada dia.
SUPREMO PASTOR – “... quando o supremo pastor se manifestar...” (1 Pedro 5:) O salmo 24 fala do SUPREMO PASTOR. O salmo que fala da 2ª vinda de Cristo em glória.
Quando teremos homens e mulheres agindo como verdadeiros pastores, que:
1. Procuram as crianças perdidas?
2. Alimentam as crianças salvas, cordeirinhos de Cristo?
3. Livram os meninos e as meninas quando atacados pelos animais ferozes?

A PERGUNTA DO SUPREMO PASTOR

Que os pais, professores, líderes e pastores se coloquem agora mesmo diante do Supremo Pastor e ouçam a mesma pergunta que, com tanta ternura, restaurou Simão Pedro: "Você me ama?"
Esta é a pergunta desafiadora, que penetra o fundo da alma. Qual o grau de intensidade de nosso amor para com Deus?
Pense na situação em que Pedro se encontrava, tendo negado o Senhor tão vergonhosamente! E nós, quantas vezes agimos da mesma maneira? Como essa pergunta incomoda: "Você me ama?"
Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”.
Diante desta resposta afirmativa é que Pedro recebeu a incumbência de apascentar e pastorear e podemos então estabelecer que a primeira atitude para os que desejam trabalhar com as crianças: é a atitude do coração que ama a Jesus. 
Amor a Jesus! Sem amor a Jesus nada poderá ser feito.

Continua...

Gilberto Celeti é pastor, educador cristão e superintendente nacional da APEC do Brasil.

Fonte: APEC

Onde estão os pastores de crianças? (Parte VI)


Este é o 6º artigo dentro do tema central ONDE ESTÃO OS PASTORES DE CRIANÇAS, com a convicção que a atividade que melhor representa aquele que trabalha com as crianças é a atividade de um pastor.
Jesus é quem fala do pastor que sai a procura da ovelha perdida e associa esta linda imagem ao fato de que é de suma importância buscar as crianças que estão perdidas, porque não é da vontade do Pai Celestial que nenhum pequenino se perca (Mateus 18:10-14). Sim, o pastor é aquele que procura o cordeiro perdido.
Chega de pajear, de entreter ou de meramente “ensinar” crianças. Elas necessitam, já, de pastoreio. Que os líderes em cada uma das igrejas locais tenham a visão correta sobre o ministério entre os pequeninos! Que os pais aceitem o desafio de se tornarem “pastores” de seus próprios filhos!
Além de buscar crianças perdidas e alimentar as que já receberam a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, uma terceira atividade do pastor é livrar o cordeiro quando atacado pelas feras.
Já vimos alguns dos ataques do inimigo para dominar a mente das crianças, mas há ainda mais:
ESTRATÉGIA SUTIL DO INIMIGO
Nessa guerra, que parece que ninguém vê nem percebe, há bombas lançadas nas mentes de líderes de igrejas evangélicas, para cegá-los quanto às necessidades espirituais das crianças. Muitos assimilaram ideias que não estão de acordo com a Palavra de Deus, e raciocinam que só depois dos 13 anos é que uma criança pode ser evangelizada. Ora, nessa idade já é tarde, embora para Deus nunca seja tarde demais.
Infelizmente, não se percebe que o melhor tempo para conduzir as crianças a Cristo é nos primeiros anos, começando desde quando são bebês, aproveitando muito bem o período de ouro quando são pré-escolares,  durante os anos que estão nos estudos da fase fundamental e tendo a bênção de ver as crianças já nascidas de novo antes mesmo de entrarem na pré-adolescência.
O fato é que o índice dos que recebem a Cristo antes dos 15 anos de idade é sempre muito superior ao de que qualquer outra faixa etária, levando líderes cristãos como George Barna a dizer que se uma pessoa não vier a Cristo antes dos 15 anos de idade as chances desta pessoa vir a se converter é bem pequena.
Charles Spurgeon também “brigou”, e muito, pela evangelização e discipulado das crianças, afirmando em certa ocasião: “Espero que você não esteja entre aqueles que esperam ver suas crianças convertidas apenas quando forem crescidas, e sente-se satisfeito ao deixá-las permanecer em seus pecados enquanto são crianças. Espero que você ore pela conversão das crianças enquanto são crianças, e esteja trabalhando neste sentido com a ajuda graciosa do Espírito. Se você estiver fazendo isto, não conheço qualquer outro serviço mais adequado para incluir os anjos do céu se lhes fosse permitido fazê-lo”.
CRIANÇAS TOCADAS COM MÃOS IMUNDAS
A violência da ação maligna contra a infância acontece de maneira surpreendente nos casos de abusos, sejam verbais, sejam físicos, sejam sexuais. O alto índice de pedofilia, a exploração sexual de crianças e a pornografia têm sido uma realidade cada vez mais presente na sociedade e, vergonhosamente, dentro dos ambientes chamados “evangélicos”.
É preciso estar atento, como pastor cuidadoso, para verificar que todos os cordeirinhos estejam íntegros, sem marcas de mãos sujas em seus corpos.
É preciso estar atento para verificar se as crianças estão sendo impedidas de falar, sendo obrigadas a permanecer em silêncio, sendo ameaçadas pelos “lobos” que sempre aparecem vestidos de ovelhas. É preciso estar atento para que, inclusive certos “pastores”, não se aproveitem para macular as ovelhas.
O verdadeiro pastor vai denunciar os abusos de qualquer ordem contra as crianças. O verdadeiro pastor vai abrir a boca a favor dos pequeninos, que muitas vezes são ameaçados para que fiquem calados. Quantos cordeirinhos sofrendo em silêncio!
O verdadeiro pastor, que busca a ovelha perdida, que nutre com a sã Palavra de Deus os cordeirinhos, vai proteger e defender as ovelhas. Para ele, o texto de Provérbios 31:8 é levado a sério: “Abre a tua boca a favor do mudo, pelo direito de todos os que se acham desamparados”. Abrir a boca a favor do mudo é abrir a boca a favor dos que não têm voz. Quem vai falar pelas crianças?
Continua...
Gilberto Celeti é pastor, educador cristão e superintendente nacional da APEC do Brasil.
Fonte: APEC
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...